[ENTREVISTA] Pedro Capó fala sobre seu novo álbum ‘MUNAY’ e conexāo com o Brasil

courtesy of sony music

O cantor Pedro Capó conversou com exclusividade com o Portal Reggaeton, na entrevista a seguir, ele fala sobre seu novo álbum “Munay“, indicações ao Grammy Latino, conexāo com o Brasil e mais..

 

Confira a entrevista:

Parabéns pelas suas indicações ao Latin Grammy  “Gavaçāo do ano”, “Cançāo do Ano” e “Melhor cançāo pop” por “Tutu” com Camilo; e “Melhor cançāo tropical” por sua colaboraçāo com Debi Nova en “Quédate”. Como você se sente? Você esperava todas essas indicações?

Muito obrigada, estou muito feliz com as indicações mas não, eu realmente não esperava. Eu sempre me surpreendo. Fico muito feliz e para mim é um privilégio e uma honra. Receber o reconhecimento da Academia e juntos com meu amigo Camilo. Eu adoro trabalhar com colegas tão lindos.


Vamos falar sobre ʺMunayˮ conte-nos um pouco sobre o processo de criação e gravação do álbum?

Bom ʺMunayˮ é um álbum que nasceu nos tempos de mudanças musicais, de sons novos dominando e como artista popular sempre achei interessante aceitar o desafio e ver como mantenho minha integridade enquanto me adapto ao novo som e com o que posso contribuir a esses novos sons. Tudo começa com ʺCalmaˮ e brincar com os sons urbanos, letras simples e honestas, de coisas que todos passamos na vida, e essa é a intenção de ʺMunayˮ, e significa amor em Quéchua, porque já tenho um tempo trabalhando (o lado espiritual) com os indígenas peruanos e amazônicos e isso me trouxe a essência, e eu queria fazer um álbum com conceito no amor, não apenas romântico, mas o amor em diferentes maneiras, como o perdão, empatia, amor as coisas lindas e simples da vida, enfim uma proposta de amor com o propósito de aliviar os tempos de hoje em dia.


Você escreveu todas as músicas do seu álbum. As músicas foram inspiradas em coisas que aconteceram com você?

Sim sempre trabalho com isso, tem coisas que faço sozinho outras tenho uma equipe criativa. Escrevo sobre minha busca pessoal em meu caminho e meu aprendizado, são musicas que canto para mim mesmo, trato de escutar como se fosse algo que preciso ouvir, tomara que eu sirva de espelho e que toque as pessoas de uma forma positiva.

Você mencionou compromissos sociais em ʺMunayˮ e “Las Luces” é uma música inspirada nos protestos em Porto Rico. Como surgiu essa ideia e qual a importância dessa música para você?

A idéia veio de coisas pessoais porque de certa maneira são pensamentos que compartilho com o coletivo porto-riquenho em certos momentos, e sobre governantes que deixaram na mão o povo, e não só fala politicamente, eu reclamo de mim mesmo, também temos que começar desde nossas casas com a mudança, e eu me cobro se fiz as coisas suficientes para estar em ação, com o que penso e com o que faço. Tem vários lados…

Bem, sabemos que uma de suas músicas favoritas é ʺDay By Dayˮ. É uma música muito boa, que mistura espanhol com inglês, e a letra retrata vivendo intensamente os dias e curtindo. Onde você canta “Um dia de cada vez eu viverei” poderia se encaixar muito bem na situação dos últimos meses em que vivemos em uma pandemia. O que significa para você viver dia após dia?

Significa o lindo da vida, isso é a coisa linda do presente, que é o único que temos. Não é algo que domino que sou professor, é algo que trato de ser todos os dias. Day By Day para mim é o meu mantra pessoal especialmente em esses dias onde estamos obrigados a viver o dia a dia, eu sinto que vivemos tanto tempo presos ao passado e sofremos, estamos com ansiedade por conquistar coisas de um futuro que também não existe e que se constrói aqui, no presente, é bonito estar aqui e agora, a cada hora, e poder arrumar as coisas podemos crescer, aprender, aproveitar e comemorar.

 

ʺMunayˮ é um trabalho, onde não vemos colaborações com outros artistas. Você tem planos futuros para isso?

Sim verdade. Eu gosto de trabalhar com colegas que admiro e que respeito, de fazer sentido a música e não por negócios, mas que seja linda a música e porque existe uma química genuína. Mas Munay eu fiz sozinho porque, senti que era um álbum muito pessoal, eu não queria que confundissem a intenção do disco e senti que deveria defender na sua pureza, mas eu também não fecho as portas para que algum dia tenha um remix, ou algo desse tipo.

Sei que um dos seus hobbies era ir para a cozinha e ser chef, e também sei que você está fazendo comida brasileira, que tipo de comida você está fazendo e de onde veio a inspiração?

 Sim, eu fiz Moqueca Baiana.

Nossa, moqueca? É um prato difícil! Estou impressionada.

É fácil! Eu já fiz duas vezes eu amo a comida brasileira, na próxima quero fazer mais coisas.

No ano passado você cantou na final da Copa América no Brasil, em um estádio lotado, junto com a Anitta, imagino que para a sua carreira foi um dos momentos mais marcantes. O que você sentiu naquele momento?

Para mim estar no maracanã foi um sonho, eu não acreditava. Eu estava em Madrid na noite anterior, e durante a manhã eu fui para o Brasil, e logo depois fui para a Itália, e tudo foi como um sonho estar no Rio de Janeiro em um momento tão importante e com o estádio cheio , junto com a Anitta que é uma artista que eu admiro muito, e que me fez sentir como se fosse da família, enquanto eu estava lá e foi incrível. Eu sempre senti uma conexão com o Brasil especialmente pela música através do meu crescimento, das coisas que me influenciaram, das coisas que eu trazia como as musicas de Gilberto Gil e Skank, para mim foi um dos momentos mais lindos da minha pessoal e profissional, tomara que logo eu possa voltar e sentir esse carinho lindo.


Assim que a situação da pandemia melhorar, você deve estar ansioso para cantar ao vivo novamente, podemos esperar os planos para uma turnê de Munay no Brasil?

Tomara que sim, eu já não aguento mais esperar por fazer um show ao vivo, que bom a gente pode fazer shows virtuais, mas nada se compara com o ao vivo, eu espero que seja logo, para que em 2021 possamos voltar a estrada.

Para terminar, poderia deixar uma mensagem para teus fãs do Brasil:

Família do Brasil, mando para vocês todo o meu carinho, obrigada pelo apoio de sempre, e eu deixo com vocês Munay, meu novo filho e minha nova produção, espero que vocês gostem, porque eu fiz com muito amor e aqui eu deixo, abraços e muita saúde.

 

 

Por: Mariana e Nicole 

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

PORTAL REGGAETON - Copyright © 2017